Accell® em estações de tratamento de águas residuais

O Accell® foi formulado para ser usado em sistemas aeróbicos e alguns anóxicos, especialmente de lodo ativado, para tratamento de águas residuais industriais e municipais.

  • Digestores e tanques aeróbicos
  • Reatores de lote sequencial
  • Desidratação de lodo
  • Tratamento de esgoto em lagoa passiva ou aerada
REDUZ OS CUSTOS OPERACIONAIS
MELHORA A EFICIÊNCIA DAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO
AUMENTA A CAPACIDADE DE TRATAMENTO SEM INVETIMENTO DE CAPITAL

ORIENTAÇÕES PARA MELHORIA DA EFICIÊNCIA DAS ESTAÇÕES  DE TRATAMENTO DE EFLUENTES

Os níveis de dosagem de Accell® e Accell®3 dependem do tipo de equipamento usado e das condições do afluente em termos de níveis de DBO, TSS, FOG, DO. O Accell®3 é uma versão altamente concentrada (aproximadamente 3X) do Accell® para instalações com taxas de vazão de água muito altas.

Para configurar uma avaliação, entre em contato com o representante da Verus Ambiental, para ele conhecer seus problemas específicos. Em seguida, ele pode definir o tratamento, bem como os protocolos e métricas de medição a ser usado ​​para registrar os resultados, sejam eles quantitativos ou visuais.

As informações a seguir se prestam para avaliar poder atender suas necessidades e propor um protocolo de tratamento.

Tratamento de águas residuais municipais

Dosar continuamente entre 1 a 5 ppm de Accell®3 de acordo com a vazão do sistema, as condições do afluente e o esquema do processo de tratamento.

Informar:

  • Descrição do sistema, esquema do fluxo do afluente, taxas de vazão , sistema de aeração, tempo de retenção hidráulica.
  • Tabelas de parâmetros do afluente para determinar a linha de base (tanto quanto possível): DBO, DQO, TSS, P, DO, amônia, nitrato / nitrito, nitrogênio total
  • Volume de lodo produzido
  • Principais melhorias a resolver
  • Objetivos desejados do tratamento com Accell®

Benefícios potenciais*

  • Redução de odor (reduções significativas é um benefício inerente ao tratamento com Accell®)
  • Redução na produção de lodo 30 – 50%
  • Redução nos custos de energia para aeração 25 – 50%
  • Aumento do rendimento do tanque de aeração 20 – 40%
  • Redução do índice de volumétrico do lodo (IVL) 30 – 45%
  • Amônia redução no efluente de 30 – 75%
  • Fósforo redução no efluente de 45 – 65%

* As dosagens de tratamento variarão em função dos parâmetros do afluente, das condições operacionais, bem como do projeto da planta.